Diego Mac

| apresentação

Diego Mac é bailarino, coreógrafo, diretor cênico e produtor cultural. Graduado em Dança, Especialista e Mestre em Poéticas Visuais. Atua na área da dança, teatro, cultura popular, imagem e tecnologia. É diretor da Macarenando Dance Concept.  Diretor do Grupo Gaia – Dança Contemporânea. Diretor artístico da Muovere Cia. de Dança.

Biografia

1998
Iniciou atuação profissional em dança como bailarino na Cia de Dança Popular do Sul, com o espetáculo “Réquiem, de Mozart”, com o qual recebeu o Prêmio Açorianos de Dança 1998 como Artista Revelação.

2000
Participou como bailarino do espetáculo “Das Tripas Sentimento – Uma homenagem a imortal cantora brasileira Elis Regina”, vencedor de 6 categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2000, incluindo Melhor Espetáculo. Neste mesmo ano criou a “iDance – Revista Digital”, permanecendo como diretor e membro do conselho editorial até 2005.

2001
Passou a atuar como diretor e coreógrafo da Cia de Dança Popular do Sul, na qual dirigiu e coregrafou seu primeiro trabalho autoral, o espetáculo “Deixe-me ver sua Alma”, contemplado com o Prêmio Brasil Em Cena – Ministério da Cultura.

2003
Assumiu, junto a Alessandra Chemello, a direção do Grupo Gaia – Dança Contemporânea, um dos grupos de dança mais atuantes do Rio Grande do Sul. No Grupo Gaia, desenvolve as funções de diretor, coreógrafo e bailarino, de obras como: “À Flor da Pele” (2003), indicado ao Prêmio Açorianos de Dança 2003 na categoria Melhor Iluminação e vencedor do “Prêmio DOM 2003” como destaque coreográfico; “Não se Pode Amar e Ser Feliz ao Mesmo Tempo” (2004), indicado a seis categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2004, destacando-se como vencedor em quatro; “O Buraco de Alice” (2005), uma instalação performática criada nas escadas de incêndio do Centro Cultural Usina do Gasômetro, durante o período em que o grupo integrou o projeto Gestação Cultural – Usina das Artes; o espetáculo “Alice [adulto]” (2007), vencedor do Prêmio Funarte de dança Klauss Vianna” e indicado a cinco categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2007, das quais Diego Mac ganhou o prêmio de Melhor Bailarino; o espetáculo “Mulheres Fortes em Corpos Frágeis” (2008), indicado a quatro categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2008, destacando-se como vencedor em duas; o espetáculo “Abobrinhas Recheadas” (2009), contemplado com a Bolsa Funarte de Estímulo à Criação Artística, na categoria Dança (Coreografia) e indicado a quatro categorias do Prêmio Açorianos de Dança 2009, destacando-se como vencedor em duas, incluindo o Prêmio RBS Cultura 2009 de Melhor Espetáculo; e o espetáculo “Cinderela Fashion Week” (2011), em comemoração aos 10 anos de atividades do Grupo Gaia.

2004
Participou como bailarino da montagem do espetáculo “Branca das Neves”, vencedor do Prêmio Palco Habitasul de Montagem Cênica. Recebeu, ainda, o Prêmio Destaque na Dança do Rio Grande do Sul, concedido pela FF Produções.

2005
Foi convidado a realizar o conceito de imagem e a trilha sonora do espetáculo “Beterrabas Caprichosas”, da Muovere Cia de Dança, sob a direção de Jussara Miranda. Ainda neste período, começou estudar e investigar a linguagem da videodança, criando seu primeiro trabalho nesta modalidade – “Suicídio Fashion Week” – e atuando como videomaker da performance “Fazendo Contato”. Neste mesmo ano, passou a ocupar o cargo de professor do “Curso de Extensão em Dança Contemporânea”, no Centro Universitário IPA Metodista, no qual permaneceu até 2007.

2006
Concluiu o Curso Superior de Dança na ULBRA/RS. Participou do projeto “Casa Bild”, contemplado com o Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, dirigido por Jussara Miranda, no qual foi responsável pela criação do conceito de imagem e do videodança documental do projeto. No campo da videodança, criou as obras “Por Baixo da Mesa” e “Pas de Corn”.

“Pas de Corn” é um marco na carreira do artista, e dá início à sua pesquisa de linguagem poética que relaciona dança, vídeo, tecnologia e cultura popular. “Pas de Corn” foi e ainda é exibido em diversas programações culturais, como Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança 2006, no evento Contemporâneo 2006 – Mostra de artes visuais, dança, dramaturgia e literatura, no Prêmio Brasil na Alemanha 2006, no programa de televisão Retalhão, na Mostra Virtual Catálogo 2ptos 2008, sendo uma das 5 obras selecionadas pelos curadores Moacir dos Anjos, Oriana Duarte e Juliana Monachesi, na Mostra de Videodança Lanterninha 2009, na mostra Mini VHSII 2009, na II Mostra (In) Dependente de Dança 2009 e no 14° Porto Alegre em Cena.

2007
Criou um conjunto de sete obras em videodança chamada “Série Jogos”, a qual participou das exibições do Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança 2007. Concluiu especialização em “Poéticas Visuais: gravura, fotografia e imagem digital”, pela FEEVALE/RS, com a monografia “Pés, pipocas e pixels: corpos possíveis para uma dança particular” e com a obra de videodança “Mexendo nas Partes“. Passou a realizar trabalhos de criação de videodança documental para projetos de dança, como o “Grupo Experimental de Dança de Porto Alegre” e o espetáculo “Memórias e Pinturas”, de Luciano Hoeltz.

2008
Estreou, junto à Muovere Cia de Dança, o projeto “Re-Sintos”, no qual atua como diretor de visualidades e sonoridades e é criador das videocoreografias que compõem a “Mostra Videocoreográfica” do projeto. Participou da exposição coletiva “Poéticas Visuais”, na Pinacoteca da FEEVALE/RS, com a obra “Mexendo nas Partes”. Realizou, com o Grupo Gaia, a apresentação do espetáculo “Alice [adulto]” na Mostra da Dança Contemporânea do “Festival de Dança de Joinville”, como um dos seis grupos convidados. Participou, com a obra “Mexendo nas Partes, do Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança 2008; do CONDANÇA 2008 – Congresso Nacional de Dança: Fronteiras no movimento – diálogo, hibridismo e mestiçagem; da exposição coletiva “Montagem 4×4”, realizada na Fundação ECARTA; e do encontro “Terceira Margem”, realizado pela Bienal Internacional de Dança do Ceará.

2009
Contemplado com a Bolsa Funarte de Estímulo à Criação Artística, na categoria Dança (Coreografia), por meio da qual realizou junto ao Grupo Gaia a pesquisa “Reprocessamentos coreográficos: transduções estético-culturais entre dança e vídeo”, que resultou no espetáculo “Abobrinhas Recheadas”. Ainda com o Grupo Gaia, realizou a execução do “Projeto de Manutenção” do grupo, contemplado com o Prêmio Funarte de dança Klauss Vianna 2008. Produziu o primeiro Flash Mob Dance de Porto Alegre no Festival Internacional de Dança Mesa Verde, com a participação de mais de 200 pessoas dançando a famosa coreografia Macarena. Participou da obra “Musicircus”, de John Cage, na 7ª Bienal do Mercosul.

Com a Muovere Cia. de Dança, participou do projeto “Dalí Daqui”, vencedor do Prêmio Funarte Interações Estéticas, na criação de videocoreografia do projeto. Publicou o artigo “O vídeo é o corpo”, na Logos – Revista de Divulgação Cientifica (Editora ULBRA), e o artigo “Reflexões sobre as relações entre dança e vídeo” na Gambiarra – Revista dos Mestrandos do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Arte – PPGCA/UFF. Participou com o videodança “Pas de Corn” das mostras Lanterninha (RJ), Mini VHSII (RJ), II Mostra (In) Dependente de Dança (SP) e Mostra Movimento e Palavra: imagem (RS).

2010
Atuou como coreógrafo do projeto “Dali Daqui Intrusocial” e do projeto “Olho 3”, ambos em parceria com Jussara Miranda. Participou como coreógrafo do espetáculo “Wonderland e o que M. Jackson encontrou por lá”, do grupo Teatro Sarcáustico, vencedor do Prêmio Açorianos de Teatro 2010 nas categorias Melhor Produção, Melhor Figurino, Melhor Direção e Melhor Espetáculo.

Foi membro do corpo docente do curso de Pós-Graduação latu sensu em “Poéticas Visuais: gravura, fotografia e imagem digital” na FEEVALE/RS. Realizou circuito de apresentações do espetáculo “Re-Sintos”, com a Muovere Cia. de Dança, sob o patrocínio da Caixa Cultural (RJ/SP/DF). Palestrante da aula inaugural, junto à Jussara Miranda, do Curso de Graduação em Dança/UFRGS.

2011
Atuou como coreógrafo do projeto “Feedback”, em parceria com Jussara Miranda. Participou do debate de abertura Dança em Foco – Festival internacional de Dança & Vídeo – Itinerância Porto Alegre (RS), do 2º Encontro nacional de Pesquisadores em Dança/UFRGS, e do “Encontro Feedback: dança e diversidade em gênero”.

Foi coordenador e professor do Estágio de Atuação Cênica, promovido pelo Grupo Gaia. Estreou, também com o Grupo Gaia, o espetáculo “Cinderela Fashion Week”, em comemoração aos 10 anos de atividades do grupo.

Criou a trilha sonora e videografia do espetáculo “In Heaven”, sob direção de Jezebel de Carli, com o grupo Teatro do Encontro.

Concluiu sua pesquisa “O Colecionador de Movimentos: 03 ensaios videográficos de imagem e(m) movimento” no curso de mestrado em Poéticas Visuais na UFRGS. Participou, com a obra “O Colecionador de Movimentos”, do I Salão Xumucuís de Arte Digital (PA).

Participou como artista convidado do projeto “Duetos”, da Casa M – 8ª Bienal do Mercosul, no qual ministrou a oficina “Os Colecionadores de Movimentos” e dirigiu as performances “Não quero ser a última a comer-te”, em parceria com Marcelo Noah, e “Geocoreografia: cidade não vista”, em parceria com Tatiana Vinhas e Teatro Geográfico.

2012
Coreografou o flashmob “Silêncio”, no evento Jardim Tecnológico, da Secretaria de Ciência e Tecnologia do RS, sob direção de Luciane Panisson. Apresentou a performance “Geocoreografia: cidade não vista” na Semana de Porto Alegre 240 anos. Atou como diretor artístico dos projetos “DESVIO” e “Tóin – Dança para bebês”, com a Muovere Cia. De Dança. Atuou como coreógrafo do Natal Luz de Gramado. Foi selecionado para receber a Bolsa de Pesquisa Décio Freitas/Fumproarte para desenvolver a pesquisa “O Colecionador de Movimentos: carnaval”.

2013
Em 2013, apresentou a performance “Geocoreografia: cidade não vista” no Festival de Rua de Porto Alegre. Realizou tourneé do espetáculo “Re-Sintos” pelo Brasil. Atuou como diretor artístico do espetáculo “Baseado em Fatos Reais”. Foi Assistente de Direção do Grande Desfile de Natal do Natal Luz de Gramado. Foi jurado do Prêmio Açorianos de Dança. Fundou a Macarenando Dance Concept. Dirigiu o espetáculo de improviso em dança “Abobrinhas Recheadas – O Jogo”.

2014
Em 2014, atuou como coreógrafo do “Concertos Comunitários Opus/Zaffari”. Participou da Comissão Curadora do “Porto Alegre em Cena”. Foi selecionado para participar do “Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança 2014” com a obra “O Lago dos Cisnes, de O Colecionador de Movimentos”. Realizou temporadas do espetáculo “Abobrinhas Recheadas – O Jogo” e “Tóin – Dança para Bebês”. Estreou o espetáculo “100 Formas para o Amor”, com a Macarenando Dance Concept, que recebeu 9 indicações ao Prêmio Açorianos de Dança 2014 (Espetáculo Direção, Coreografia, 2 indicações para Bailarina, Bailarino, Figurino, Iluminação e Trilha Sonora), vencendo nas categorias Melhor Iluminação e Melhor Figurino. Atuou como Diretor Artístico e participou das ações de comemoração 25 anos da Muovere Cia. de Dança: espetáculo “Concerto Muovere 25 Anos”, flashmob Muovere 2.5, Oficina de Montagem Muovere REMIX, que resultou no espetáculo “Mixados”. Ministrou a oficina Dança para Atores, na Casa de Cultura Mario Quintana. Participou da circulação pela Região Sul do espetáculo “Desvio”, com a Muovere Cia. de Dança. Ganhou o Prêmio Açorianos de Dança 2014 na categoria Novas Mídias em Dança pela obra “Mexendo nas Partes”.

2015
Ministrou a disciplina de dança do curso Teatro Musical, realizado pela Cômica Cultural. Inaugurou o Creativity Lab, setor da Macarenando Dance Concept focado na realização de cursos e treinamentos da criatividade, realizando a Oficina Permanente de Criação em Dança. Dirigiu e estreou o espetáculo “A Classe”, resultado da Oficina Oficina Permanente de Criação em Dança. Produziu e dirigiu diversas temporadas e apresentações do espetáculo “Abobrinhas Recheadas”, incluindo 4 temporadas em Porto Alegre, participação no 17ª Caxias em Cena/RS, Mostra SESC Cariri de Culturas/CE e Quintas do Humor SESC/RS. Produziu e dirigiu diversas temporadas e apresentações do espetáculo “100 Formas para o Amor”, incluindo 3 temporadas em Porto Alegre, participação no 17ª Caxias em Cena/RS, Mostra SESC Cariri de Culturas/CE e Palco Giratório SESC/RS. Junto à Muovere Cia de Dança participou de diversas temporadas e apresentações dos espetáculos “Desvio” e “Tóin – Dança para Bebês, incluindo diversas temporadas em Porto Alegre no Theatro São Pedro, Livraria Cultura e Instituo Ling, participação no Festival Internacional de Teatro de Rua de Porto Alegre/RS e Festival Nacional de Presidente Prudente/SP. Foi Assistente de Direção da cerimônia de entrega do 10º Prêmio Braskem Em Cena. Recebeu a indicação de Destaque em Dança Contemporânea do Prêmio Açorianos de dança 2015 pela pesquisa de estratégias do encontro da dança com o público realizada com a Macarenando Dance Concept. Recebeu o patrocínio de O Boticário na Dança para realização do projeto de circulação do espetáculo “100 Formas para o Amor” em 2016.

2016
Em 2016, desenvolveu ações de aproximação da dança com o público por meio de oficina de FlashMob, junto ao Santander Cultural. Atuou como consultor e treinador de Performance Cênica para Músicos junto à Escola de Música Guitarríssima. Foi jurado do Festival Vem Dançar. Com a Muovere Cia de Dança, dirigiu diversas temporadas do espetáculo Tóin – Dança para Bebês, em apresentações no Theatro São Pedro em Porto Alegre, bem como em diferentes cidades do RS; apresentou o espetáculo “Desvio”, no Dia Internacional da Dança e na Mostra Gestos Contemporâneos; foi diretor artístico do projeto WebCoreô, e de seu espetáculo resultante, “Choking”. Foi convidado do projeto “Luciana Paludo convida…”, no qual atuou como bailarino em parceria com a artista proponente. Participou como convidado do V Encontro das Graduações em Dança do RS, em GT sobre a “A cultura da gratuidade e a produção artística”. Foi coreógrafo do espetáculo “A Arca de Noé”, com direção de Zé Adão Barbosa. Com a Macarenando Dance Concept [Creativity Lab], ministrou curso intensivo de verão, Dança para Atores; deu continuidade à Oficina Permanente de Criação em Dança – ANO 2; dirigiu e estreou a performance “Ensaio sobre ausência e doçura”, resultado da Oficina Permanente de Criação em Dança. Com a Macarenando Dance Concept, participou do 11º Festival Palco Giratório SESC/POA com os espetáculos “A Classe” [2ª Temporada] e Tóin – Dança para Bebês; participou do 23º Porto Alegre em Cena, 17º Porto Verão Alegre, da II Mostra de Artes Cênicas do Teatro Glênio Peres e da Mostra Gestos Contemporâneos com o espetáculo Abobrinhas Recheadas; dirigiu a 9ª, 10ª e 11ª temporadas do espetáculo Abobrinhas Recheadas; participou da Escola de Espectadores de Porto Alegre com o espetáculo Abobrinhas Recheadas; dirigiu a execução do projeto de intervenção urbana 100FORMAS.LOV, com patrocínio de O Boticário na Dança.

Portfólio

| principais trabalhos

Premiações

| e indicações

2016
Indicação ao Prêmio Braskem em cena 2016 com o espetáculo “Abobrinhas Recheadas”.

2015
Indicação de Destaque em Dança Contemporânea do Prêmio Açorianos de dança 2015 pela pesquisa de estratégias do encontro da dança com o público realizada com a Macarenando Dance Concept.

2014
Prêmio Açorianos de Dança 2014 na categoria Novas Mídias em Dança com a obra “Mexendo nas Partes”

2014
9 indicações ao Prêmio Açorianos de Dança 2014 nas categorias: Espetáculo Direção, Coreografia, 2 indicações para Bailarina, Bailarino, Figurino (vencedor), Iluminação (vencedor) e Trilha Sonora por “100 Formas para o Amor”

2011
Prêmio RBS Cultura 2011 de Melhor Espetáculo com “Cinderela Fashion Week”

2010
Prêmio RBS Cultura 2009 de Melhor espetáculo com “Abobrinhas Recheadas”

2009
Indicação do espetáculo “Mulheres Fortes em Corpos Frágeis” ao “III Troféu Brasken em Cena”

2009
Prêmio Funarte de dança Klauss Vianna para a realização do “Projeto de Manutenção Grupo Gaia”

2008
Melhor Iluminação e Melhor Figurino por “Mulheres Fortes em Corpos Frágeis” – Prêmio Açorianos de Dança 2008

2008
Contemplado com a Bolsa FUNARTE de Estímulo à Criação Artística, na categoria Dança (Coreografia).

2008
Melhor Bailarino por “Alice (adulto)” – Prêmio Açorianos de Dança 2007

2007
Indicação do espetáculo “Alice (adulto)” ao “II Troféu Brasken em Cena”

2007
Indicações ao Prêmio Açorianos de Dança nas categorias: Melhor Espetáculo, Melhor Bailarino, Melhor Figurino, Melhor Trilha Sonora, Melhor Iluminação por “Alice [adulto]”

2007
Prêmio Funarte de dança Klauss Vianna 2007 com o espetáculo “Alice [adulto]”

2006
Prêmio da Mostra Virtual “Catálogo 2ptos” (www.doispontos.art.br) com “Pas de Corn”

2004
Destaque na Dança do Rio Grande do Sul – Prêmio FF Produções

2004
Indicação do espetáculo “Não se Pode Amar e Ser Feliz ao Mesmo Tempo” no “I Troféu Brasken em Cena”

2004
Melhor Trilha Sonora, Melhor Figurino, Melhor Iluminação e Melhor Cenário por “Não se Pode Amar e Ser Feliz ao Mesmo Tempo – Prêmio Açorianos de Dança

2003
Coreógrafo Revelação – Prêmio DOM

2002
Prêmio Brasil Em Cena com o espetáculo “Deixe-me ver sua Alma”

1998
Artista Revelação por “Requiem, de Mozart” – Prêmio Açorianos de Dança

O vídeo das pipocas

“Pas de Corn” (2006) é um marco na carreira do artista, uma vez que dá início à sua pesquisa de linguagem poética que relaciona dança, vídeo, tecnologia e cultura popular.

“Pas de Corn” foi, e ainda é, exibido em diversas programações culturais, como Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança 2006, no evento Contemporâneo 2006 – Mostra de artes visuais, dança, dramaturgia e literatura, no Prêmio Brasil na Alemanha 2006, nos programas de televisão Retalhão e Domingão do Faustão, na Mostra Virtual Catálogo 2ptos 2008, sendo uma das 5 obras selecionadas pelos curadores Moacir dos Anjos, Oriana Duarte e Juliana Monachesi, na Mostra de Videodança Lanterninha 2009, na mostra Mini VHSII 2009, na II Mostra (In) Dependente de Dança 2009 e no 14° Porto Alegre em Cena.

Contatos

Diego Mac
diego@macarenando.com.br

O Colecionador de Movimentos
http://www.macarenando.com.br/ocolecionadordemovimentos

Macarenando Dance Concept
http://www.macarenando.com.br/

Currículo Lattes
http://lattes.cnpq.br/6081639366841315